02/11/2008

Um Grande Passo!


Ainda falando em criptografia...
Durante o séc.XX houve uma grande evolução graças a três matemáticos os senhores Diffe, Helleman e Merkle. Estes senhores são os responsáveis pelo método de Cifra de Chave Pública, inicialmente e pelo nome pode parecer estranho mas a ideia é muito simples e eficaz.
Antes da descoberta deste método para se trocarem chaves de cifragem era necessário as pessoas encontrarem-se para troca-las ou enviarem-nas pelo correio ou por um outro método qualquer.
Mas repare-se que isto não é muito prático, durante uma guerra por exemplo, em que a informação vale ouro e há espiões em todo o lado, não é muito seguro as pessoas encontrarem-se para trocarem chaves, ou mesmo envia-las por correio. O risco de a chave ser roubada ou interceptada é grande, mas pensava-se que não havia outra maneira de troca de chaves.
Esses três senhores, contra o que todos diziam, acreditavam que tinha que haver uma maneira segura de trocar chaves sem risco de estas serem interceptadas e descobriram essa maneira.
Foi assim criada a Criptografia de Chave Pública!
A ideia é muito simples.
Imaginemos que um dos meus leitores quer deixar um comentário confidencial... muito simples!
Eu deixaria aqui postado no blog a minha chave de encriptar mensagens e o leitor usava a minha chave para encriptar o comentário, como só eu tenho a chave de descodificação só eu sei o que diz o comentário.
Agora eu quero responder ao cometário também com uma mensagem confidencial (há que manter a confidencialidade do assunto!). Para isso basta o leitor deixar a sua chave de cifragem, eu uso essa chave e codifico a minha resposta, como só o leitor tem a chave para a descodificar, só o leitor a pode ler.
Resumidamente eu posso receber comentários cifrados mas só eu os posso decifrar, porque só eu tenho a chave para isso, o mesmo acontece com o leitor, que pode receber mensagens de toda a gente mas só ele as pode ler.
E assim acabaram-se os problemas de transmissão de chaves!

14 comentários:

Metódica disse...

Bem... estive um bom tempinho sem postar...
Começou a época de trabalho e neste momento trabalho e coisa que não me falta, mas vou tentar ser o mais assidua possivel :)

antonio - o implume disse...

dx34&%s sudy% 2ksu# ## €4203jh £§£q9g @£€]}ee!

Funciona!

Não! Confesso que não percebi. Ou seja, a chave tem que ser previamente divulgada? Imagina que eu mando uma mensagem para a metódica e no início codifico: "Ola Metodica, tudo bem?", então, a Metódica, a única a saber que a mensagem lhe é dirigida, e a única a conhecer o teor do cabeçalho, obtém a cifra. A partir daí é só aplicá-la ao resto da mensagem.

Ou seja, eu não combino com o destinatário a cifra, que posso mudar diariamente, apenas tenho que conbinar o teor do cabeçalho.

Se não é assim, acabei de inventar isto!

antonio - o implume disse...

Ah! Já agora sê assídua à leitura das minhas histórias! Não sabes o que tens perdido!

Metódica disse...

Não é bem assim...
Imagine que o antónio me quer mandar uma mensagem confidencial, eu teria que deixar a formula de codificação no método, por exemplo num post... eu podia dizia: Quem, por qualquer razão, me quiser deixar um comentario cifrado deve obter o programa X e usar a formula Y para codificar a sua mensagem.
Como só eu possuo a formula que permite a descodificação das mensagens cifradas com a formula Y, só eu as posso ler.

Eu devia ter sido mais especifica... este tipo de processos hoje em dia é feito com programas de computador, a evoluçao da computação simplificou bastante o processo.

A cifra não é combinada, cada pessoa possui a sua cifra de codificação, e é essa cifra que é tornada pública. A cifra de descodificação só voce sabe porque se as pessoas codificam mensagems com a sua cifra de codificação é porque essas mensagens se destinam a si, pois voce é o unico que as pode ler.
Não há necessidade de mudar de cifra todos os dias :)
O teor do cabeça-lho não tem que ser combinado, pode pertencer à mensagem, se voce colocar aqui um texto cifrado com a cifra que eu lhe dei eu consigo le-lo pq tenho a chave de descodificaçao.

Não sei se esta é uma boa analogia mas... é como se isto funcionasse como um puzzle. O António dizia a td a gente como desmonta-lo mas apenas voce o sabe montar. Portanto voce dá a formula para as pessoas cifrarem mensagens mas só voce sabe como as decifrar :)
(acho que me estou a tornar repetitiva:P)


António não seja mau! Eu tenho ido ao seu blog e tenho visto os posts novos comecei a ler a sua ultima história só me falta o capitulo novo :)
Posso não ter tempo para ler ou comentar mas estou atenta ;)

Espero ter-lhe tirado a dúvida...

Jonas disse...

Aqui está um blog interessante. Leio e releio e não percebo nada. Os meus parabéns. Finalmente alguém escreve em português como se fosse chinês!

alf disse...

Ou seja, previamente o par de comunicantes tem a cifra do outro; a partir dai pode ir mudando de cifra.. se bem percebi... ou não... como é isso de obter fórmula y?

Metódica disse...

Alf

Sim.
Pessoalmente vejo necessidade de mudar a cifra e acho que normalmente não se muda. A não ser que se comece a suspeitar de que ha alguma coisa de errado. Mas se a cifra for alterada a nova cifra terá de ser comunicada previamente.

A formula Y (Y foi um nome q eu dei ao acaso) é dada quando a pessoa adquer o programa de cifragem, normalmente os programas são vendidos.
Voce compra o programa e tem duas formulas uma de codificação e outra de descodificação. A de descodificação é apenas sua, a de codificação é a que voce torna publica, se quiser até a pode publicar no seu blog, ou se preferir entrega só à pessoa com quem se quer corresponder.
Voce escolhe :)

Metódica disse...

Jonas

Assumo a culpa... devia ter sido mais explicita.
Isto é o que dá ficar um mês sem postar.. :P

Curioso disse...

;-)

Olá...
confesso que não percebi a lógica...

Mas deve ser do trabalho...

Devo precisar de um desenho...

Fiquem bem!!

Metódica disse...

Estou a pensar reescrever o post, de maneira a que fique mais claro :)
Acho que não fui muito explicita e que devo ter complicado um pouco...

N sei quando o poderei fazer, mas assim que poder estará postado :P

Fa menor disse...

Uma pessoa pode enviar uma mensagem codificada segundo um código de chaves, não é isso? A ver se percebi: tanto quem envia como quem recebe tem acesso a uma chave que codifica e descodifica, porque se for uma para codificar e outra para descodificar, então quem escreve, se não tiver acesso a essa chave de descodificação não decifra o que escreveu... no entanto ele sabe o que escreveu com a chave de codificação. Por isso presumo que a chave seja a mesma... ou então não cheguei lá :)

Bijus

Metódica disse...

Fá sim e mais ou menos isso :)

Quem codifica apenas tem acesso a chade de codificaçao, a chave de descodificaçao pertence apenas ao destinatario.
As chaves de codificaçao e descodificaçao não sao as mesmas, se não não seria seguro por exemplo publicar uma chave de codificação aqui no Método.

Jonas disse...

E quanto a uma postagem nova? Não há nada nada nada?

Metódica disse...

Pois é... por enquanto n me parece q vá postar coisas novas pelo menos nas próximas semanas... :(